PREVISÃO SAZONAL PRIMAVERA - OND2021

 

Segundo as observações oceanográficas e as previsões sazonais, espera-se que durante a Primavera de 2021 (Outubro, Novembro e Dezembro - OND2021) a condição de neutralidade no oceano pacífico seja interrompida, configurando-se mais uma vez o fenômeno La Niña. Deste modo, há uma expectativa de chuvas abaixo da média nas regiões Sul e Sudeste, enquanto que nas regiões Norte e Nordeste são esperadas chuvas acima da média. As projeções também estão considerando a ocorrência do Niño do Atlântico (o irmão menor do El Niño), este fenômeno está atualmente caracterizado com uma anomalia positiva da temperatura da superfície do mar no Atlântico Sul. O Niño do Atlântico afeta a distribuição de chuvas na América do Sul e no continente Africano, aumentando o risco potencial de inundações no Nordeste do Brasil.

A normal climatológica dos últimos anos indica um total médio de 100 mm de chuva durante a Primavera do vale do são Francisco (Juazeiro, Petrolina e região), conforme a previsão indica que teremos 50% de chuvas acima da média, o total esperado para esta primavera é algo em torno de 150 mm. Todavia, como até o momento o acumulado anual de chuva de 2021 ficou em torno de apenas 190 mm no vale do são Francisco, espera-se que o acumulado anual final esteja em torno de 300-350 mm, um valor bem abaixo da média climática de 500 mm anuais.

Além das chuvas acima da média, as previsões também indicam que teremos uma primavera com temperaturas acima da média na região Nordeste e em quase toda a Argentina. Logo, são esperados dias mais quentes o que forçará a população a utilizar com mais frequência seus ventiladores e aparelhos de ar condicionado, o que é preocupante tendo em vista a possível crise energética que se aproxima. Enfim, vamos aguardar a chegada do verão de 2022 torcendo para que a crise hídrica atual seja amenizada com uma melhor distribuição de chuvas em toda a América do Sul.

 

Att

Dr. Emerson D. Oliveira

 

 

PREVISÃO SAZONAL PRIMAVERA - OND2021

 

Segundo as observações oceanográficas e as previsões sazonais, espera-se que durante a Primavera de 2021 (Outubro, Novembro e Dezembro - OND2021) a condição de neutralidade no oceano pacífico seja interrompida, configurando-se mais uma vez o fenômeno La Niña. Deste modo, há uma expectativa de chuvas abaixo da média nas regiões Sul e Sudeste, enquanto que nas regiões Norte e Nordeste são esperadas chuvas acima da média. As projeções também estão considerando a ocorrência do Niño do Atlântico (o irmão menor do El Niño), este fenômeno está atualmente caracterizado com uma anomalia positiva da temperatura da superfície do mar no Atlântico Sul. O Niño do Atlântico afeta a distribuição de chuvas na América do Sul e no continente Africano, aumentando o risco potencial de inundações no Nordeste do Brasil.

A normal climatológica dos últimos anos indica um total médio de 100 mm de chuva durante a Primavera do vale do são Francisco (Juazeiro, Petrolina e região), conforme a previsão indica que teremos 50% de chuvas acima da média, o total esperado para esta primavera é algo em torno de 150 mm. Todavia, como até o momento o acumulado anual de chuva de 2021 ficou em torno de apenas 190 mm no vale do são Francisco, espera-se que o acumulado anual final esteja em torno de 300-350 mm, um valor bem abaixo da média climática de 500 mm anuais.

Além das chuvas acima da média, as previsões também indicam que teremos uma primavera com temperaturas acima da média na região Nordeste e em quase toda a Argentina. Logo, são esperados dias mais quentes o que forçará a população a utilizar com mais frequência seus ventiladores e aparelhos de ar condicionado, o que é preocupante tendo em vista a possível crise energética que se aproxima. Enfim, vamos aguardar a chegada do verão de 2022 torcendo para que a crise hídrica atual seja amenizada com uma melhor distribuição de chuvas em toda a América do Sul.

 

Att

Dr. Emerson D. Oliveira

 

 

TEMPERATURA PARA O MÊS DE JULHO EM PETROLINA E JUAZEIRO


ANÁLISE DA TEMPERATURA PARA O MÊS DE JULHO EM PETROLINA E JUAZEIRO

Analisando a performance da temperatura do ar do mês de julho, em Petrolina e Juazeiro de 2007 a 2021, o mês em média mais frio do ano, podemos afirmar com base nos dados observados nos últimos 15 anos, nas Estações Meteorológicas Automáticas da UNIVASF de Petrolina e Juazeiro, que embora muitos achem que ele tenha sido muito frio este ano, no decorrer dos últimos 15 anos ele não foi o mês de julho mais frio. Ou seja, em outros anos, tanto em Petrolina (Tabela 1) como em Juazeiro (Tabela 2), em termos de temperatura média, o mês de julho foi mais frio do que em 2021.

Análise para Petrolina

O mês de julho de 2021 em Petrolina teve uma temperatura média mensal de 23,8 ºC. Porém, em outros anos a temperatura média foi menor: em julho de 2020 foi de 23,5 ºC; julho de 2017 (22,8 ºC); julho de 2010 (23,6 ºC) e julho de 2008 (23,1 ºC). Por outro lado, valores de temperatura mínima diária para o mês de julho observados em Petrolina (Tabela 1), indicam que exceto no ano de 2013, que teve uma temperatura mínima em julho maior 16,6 ºC no dia 18, em todos os meses de julho entre 2007 e 2020, a temperatura mínima diária foi menor do que o valor mínimo de 16,5 ºC, registrado no mês de julho de 2021, precisamente no dia 30. É importante destacar que a menor temperatura mínima observada em Petrolina desde julho de 2007 foi 14,4 ºC e ocorreu no dia 14/07/2017. Mas, também ocorreram temperaturas bem menores do que 16,5 ºC, no dia 17/07/2019 (14,5 ºC) e no dia 26/07/2008 (14,7 ºC). Ou seja, esses três valores foram em média menores cerca de 2 ºC do que o valor da temperatura mínima observado em julho de 2021. Por outro lado, em relação a temperatura máxima em Petrolina no mês de julho durante o período em questão, pode ser observado na Tabela 1, que o valor máximo registrado de 34,2 ºC em 12/07/2021, somente foi menor do que os ocorridos em 21/07/2019 (34,8 ºC) e em 18/07/2016 ((34,6 ºC), nos demais anos do período, todos os valores foram menores.

Talvez a explicação para algumas pessoas acharem que julho e junho de 2021 tenham sido mais frios, foi a presença em muitos dias de bastante nebulosidade no céu, o que contribuiu para bloquear uma boa parte da radiação solar, impedindo o aquecimento da superfície, o que consequentemente amenizou a emissão de calor para a atmosfera, proporcionando temperaturas mais amenas, especialmente durante o período diurno. Por outro lado, as menores temperaturas durante o período noturno ocorrem durante as noites de céu aberto (céu estrelado) e não em noites de céu nublado, visto que neste caso, a nebulosidade atua bloqueando a saída de calor para o espaço (efeito estufa natural), consequentemente, a temperatura não cai tanto, como ocorre em noites de céu estrelado.

 

Tabela 1. Dados de temperatura do ar média, mínima e máxima diárias de Petrolina – 2007 a 2021

Julho Petrolina/PE

Temperatura Média

Temperatura Mínima

Data da ocorrência

Temperatura Máxima

Data da ocorrência

2007

23,9

15,0

04/07/2007

33,9

17/07/2007

2008

23,1

14,7

26/07/2008

30,8

26/07/2008

2009

24,2

16,4

18/07/2009

32,2

30/07/2009

2010

23,6

15,4

07/07/2010

31,8

10/07/2010

2011

23,9

15,5

19/07/2011

32,8

07/07/2011

2012

23,9

15,4

24/07/2012

33,2

12/07/2012

2013

24,3

16,6

18/07/2013

32,1

16/07/2013

2014

24,0

16,3

10/07/2014

31,6

27/07/2014

2015

24,4

15,7

19/07/2015

31,7

27/07/2015

2016

24,4

16,0

20/07/2016

34,6

18/07/2016

2017

22,8

14,4

14/07/2017

30,2

21/07/2017

2018

24,4

15,8

15/07/2018

31,9

03/07/2018

2019

24,1

14,5

17/07/2019

34,8

21/07/2019

2020

23,5

15,3

28/07/2020

32,4

02/07/2020

2021

23,8

16,5

30/07/2021

34,2

12/07/2021

 

Análise para Juazeiro

No mês de julho 2021 em Juazeiro a temperatura média mensal foi de 24,3 ºC, valor um pouco maior do que em Petrolina, o que é normal e esperado. No entanto, esse valor médio de temperatura (24,3 ºC), assim como ocorreu em Petrolina, foi maior do que os registrados em julho de 2020 (24,1 ºC); julho de 2017 (23,3 ºC); julho de 2010 (23,9 ºC) e julho de 2008 (23,5 ºC). Fazendo a mesma análise para os valores de temperatura mínima diária do mês de julho observados durante o referido período em Juazeiro (Tabela 2), verifica-se que exceto em 11/07/2013, quando a temperatura mínima atingiu 18,8 ºC, em todos os demais anos entre 2007 e 2020, as temperaturas mínimas registradas em julho foram menores do que o valor de 18,7 ºC observado no dia 24/07/2021. Destaca-se que as temperaturas de 15,7 ºC no dia 14/07/2017 e 15,5 ºC, o menor valor de temperatura mínima diária registrado em 07/07/10, são em média cerca de 3 ºC menores do que a temperatura mínima de 18,7 ºC observada em julho de 2021. Portanto, em relação a temperatura mínima diária de julho, o mês mais frio do ano na região, a situação observada em Juazeiro não é diferente daquela de Petrolina. Comparando os valores de temperatura mínima diária de Petrolina (Tabela 1) e Juazeiro (Tabela 2) do mês de julho de 2021, constata-se que a temperatura mínima registrada em Juazeiro no dia 24/07/2021 (18,7 ºC), foi maior 2,2 ºC do que a temperatura mínima observada em Petrolina de 16,5 ºC, a qual ocorreu no dia 30/07/2021. Já a temperatura máxima de 36,1 ºC registrada em 29/07/2021, em Juazeiro, chama a atenção, por ser a maior temperatura observada durante o mês julho desde 2007 (Tabela 2). Ou seja,  esse valor de temperatura máxima observado no mês de julho de 2021 é relativamente elevado para o referido mês e maior 5,2 ºC em comparação com o menor valor observado no período analisado 30,9 ºC ocorrido em 07/07/2010.

 

 

Tabela 2. Dados de temperatura do ar média, mínima e máxima diárias de Juazeiro – 2007 a 2021

Julho Petrolina/PE

Temperatura Média

Temperatura Mínima

Data da ocorrência

Temperatura Máxima

Data da ocorrência

2007

24,5

17,5

12/07/2021

33,6

19/07/2021

2008

23,5

16,9

13/07/2021

30,9

26/07/2021

2009

24,9

16,9

19/07/2021

32,8

20/07/2021

2010

23,9

15,5

07/07/2010

32,2

10/07/2021

2011

24,4

16,6

18/07/2021

33,1

08/07/2021

2012

24,6

17,3

24/07/2021

33,7

13/07/2021

2013

24,9

18,8

11/07/2013

32,5

16/07/2021

2014

24,4

18,6

11/07/2021

31,7

01/07/2021

2015

24,9

18,1

19/07/2021

32,0

27/07/2021

2016

25,1

18,4

24/07/2021

34,8

18/07/2021

2017

23,3

15,7

14/07/2017

30,4

21/07/2021

2018

25,0

17,3

17/07/2021

32,0

03/07/2021

2019

24,7

17,4

17/07/2021

35,4

06/07/2021

2020

24,1

16,6

07/072021

33,2

02/07/2021

2021

24,3

18,7

24/07/2021

36,1

29/07/2021

Dias mais quentes e mais secos de 2019

 

 

 No ano de 2019 a temperatura máxima na região de Petrolina e Juazeiro no dia 24/11 alcançou no campus da UNIVASF de Juazeiro 39.4 °C às 14:12 h, enquanto na estação meteorológica do INMET, em Petrolina, a temperatura máxima foi ainda mais elevada, chegando a 40.1 °C, entre às 14 e 15 horas.  Em relação à umidade relativa do ar, o dia mais seco do ano na região foi o dia 15 de Novembro, quando o seu valor mínimo foi de 10.7% na estação meteorológica do campus da UNIVASF de Juazeiro e na estação meteorológica do INMET de Petrolina foi ligeiramente maior, 12% entre às 16 e 17 horas.

Observação: é importante mencionar que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a umidade relativa do ar ideal para o bem estar humano acima de 60% é considerada ótima para a saúde; entre 30-60% é considerada razoável, porém, abaixo de 30% é prejudicial, podendo causar problemas de saúde, entre eles: desidratação, sangramento nasal, olhos ressecados, etc

 

  

 

CONDIÇÕES ATMOSFÉRICAS NA AMÉRICA DO SUL

Previsão para primavera de 2019

 

Conforme indicam as projeções, a primavera de 2019, na região Nordeste do Brasil, será marcada por temperaturas ligeiramente acima da média e chuvas abaixo da média.

Tendo em vista que o fenômeno El Niño cessou oficialmente no início de agosto, e, que a atmosfera requer ainda um certo tempo para deixar de apresentar comportamento do período de El Niño, esperam-se chuvas abaixo da média até a primeira quinzena de Novembro de 2019.


Estações do Ano 2020