BALANCO DAS CHUVAS OBSERVADAS EM PETROLINA E JUAZEIRO NO 1º TRIMESTRE DE 2016

Fazendo-se uma análise das chuvas registradas nos três primeiros meses de 2016, em Petrolina e Juazeiro,  em comparação com os dados de chuva dos últimos 104 anos, verifica-se que o índice de chuva do referido trimestre em Petrolina (431,1 mm), foi maior 186,1 mm do que o índice médio histórico para esse trimestre que é de 245,0 mm. Já  o índice de chuva do primeiro trimestre de 2016 em Juazeiro (433,2 mm), foi maior 164,8 mm do que o índice médio histórico para esse trimestre que é de 268,4 mm. Portanto, isso mostra que em média as chuvas caídas de janeiro a março de 2016, em Petrolina foram maiores 76% e em Juazeiro 61%. Esses dados também indicam que de certo modo na região como um todo, o mencionado trimestre foi bastante chuvoso, o que surpreendeu a muitos tendo em vista que os noticiários na mídia baseados em previsões climáticas do CPTEC e INMET, entre outros, indicavam que, por estar em curso um evento El Niño, o ano de 2016 seria seco ou muito seco, ou sejas, as chuvas seriam abaixo da média.

Ventos fortes são registrados em Petrolina entre 14 e 17/02/2016

Rajadas fortes de ventos foram registradas em Petrolina entre os dias 14 e 17 de fevereiro de 2016. Dados registrados na Estação Meteorológica automática da UNIVASF, localizada no Campus de Ciências Agrárias (burrinho), mostram que a velocidade do vento no dia 14/02/2016, por volta das 15:14h atingiu valores de cerca de 50 km/hora; enquanto no dia 16/02/2016, aos 00:50h, o vento alcançou uma velocidade bastante elevada de 59 km/hora, também no dia 17/02/2016, por volta das 15:21h, a velocidade  voltou a ser elevada, atingindo cerca de 40 km/hora.  No dia 16 ainda, entre 9 e 15 horas, o vento voltou a ser forte, bem como no dia 17/02/2016, entre 9 e 16 horas. No caso específico dos ventos fortes registrados no dia 16, essa ocorrência teve inicio no final do dia 15/02/2016, por volta das 23 horas e se prolongou até às 2 horas do dia 16/02/2016. Ventos fortes geralmente estão associados à presença de nuvens bem desenvolvidas, como cumulonimbus e stratocumulos. No caso dos ventos mais fortes registrados no dia 16, os quais estiveram acompanhados por muitos relâmpagos e trovões, foram gerados pela presença de nuvens cumulonimbus sobre a região. Ventos fortes como esses registrados na nossa região, podem causar sérios danos tanto em estruturas de áreas urbanas, como em cultivos em áreas agrícolas, principalmente em culturas mais vulneráveis e expostas como plantações de banana.   

Chuvas de janeiro de 2016, em Petrolina e Juazeiro foram uma das maiores para este mês nos últimos 104 anos

Os registrados efetuados pelas Estações Meteorológicas Automáticas da UNIVASF, mostram que as chuvas caídas em Petrolina e Juazeiro durante o mês de janeiro de 2016, foram superiores em mais de 4 vezes a média histórica do referido mês. Choveu durante o mês de janeiro em Petrolina 327,2 mm e em Juazeiro 332,2 mm. Apenas no dia 22 choveu mais do que a média de todo o mês de janeiro: em Petrolina 86,9 mm e em Juazeiro 88,4 mm. Esse índice de chuva do mês de janeiro de 2016 em Petrolina, foi o segundo maior índice de chuva registrado na cidade no mês de janeiro nos últimos 104 anos. Portanto, o total de chuva em janeiro de 2016, só não foi maior do que em janeiro de 2004 (553 mm). Já em Juazeiro, o índice de precipitação em janeiro de 2016, foi o quarto maior nos últimos 104 anos. Ou seja, foi apenas  menor do que em janeiro de 1914 (345,6 mm); 1992 (356,2 mm) e 2004 (533,3 mm).

Chuva no dia 14/02/2016 em Juazeiro atingiu 82 mm e em Petrolina 67

As chuvas registradas nas Estações Meteorológicas Automáticas da UNIVASF, em Juazeiro e Petrolina, no dia 14/02/2016, atingiram índices bastante expressivos 82 mm e 67 mm, respectivamente. Essas chuvas vieram acompanhadas de fortes rajadas de vento, raios e trovões. Deste modo, no mês de fevereiro, até esta data, já choveu em Juazeiro 84,1 mm e em Petrolina 68,4 mm. Esses índices de fevereiro, somados aos de janeiro totalizam até agora, em Juazeiro 416,3 mm e em Petrolina 395,6 mm. Por outro lado, tem-se notícias de que nas regiões de Belém do São Francisco/PE e Jaguarari/BA, também no dia 14/02/2016,  ocorreram chuvas de granizo.

Petrolina tem a menor temperatura do ano em 2015

Neste domingo dia 19 de Julho de 2015, entre 5 e 7 horas da manhã foi registrada na Estação Meteorológica Automática da UNIVASF em Petrolina, uma temperatura de 15,7 °C. Embora essa temperatura seja baixa e a menor registrada no mês de julho nos últimos três anos em Petrolina, temperaturas baixas no mês de julho, não é algo incomum em Petrolina: em 2012, no dia 24 a temperatura mínima atingiu 15,4°C; em 2011 no dia 19, 15,5°C; em 2008 no dia 26, 14,7°C; e em 2007 no dia 04, 15,0°C. De acordo com os registros, temperaturas menores ainda poderão ocorrer no mês de agosto. Em agosto de 2012 a temperatura mínima no dia 05 atingiu 14,7°C e no dia 18 de agosto de 2007, 14,6°C, a menor temperatura registrada em Petrolina nos últimos nove anos.


In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow